29 setembro, 2016

A história do Nhoque da Fortuna


Conta a lenda que São Pantaleão andava pela Itália num dia 29, no século IV, disfarçado de mendigo quando pediu comida a uma família muito pobre.
A família tinha pouco nhoque e dividiu com o visitante mesmo assim, restando sete pedacinhos para cada um.
Quando o santo se foi, as pessoas da família encontraram muito dinheiro embaixo dos pratos.
Daí vem a prática de comer o nhoque da fortuna todo dia 29, com uma nota ou moeda embaixo do prato de forma a garantir prosperidade. Ah, deve-se comer os sete pedacinhos iniciais e fazer um pedido.
Para mim é uma ótima desculpa para fazer e comer nhoque! Rsrs
Esse da foto eu fiz com batata doce e molho de tomate caseiro.
Para a massa usei 01 xícara e meia de batata cozida e amassada, juntei 03 colheres (sopa) de farinha de trigo e temperei com sal e pimenta. Faça "cobrinhas" com a massa numa superfície enfarinhada e corte os pedaços com uma faca.
Leve para cozinhar aos poucos numa panela cheia de água fervente. Quando o invoque boiar, significa que está cozido. Então retire com o auxílio de uma escumadeira e continue o cozimento do restante.
Sirva com o molho de sua preferência. Ao invés da batata doce, também pode usar batata inglesa, mandioca ou aipim, inhame, mandioquinha ou batata baroa. Nesse caso, a quantidade de farinha pode variar. Se você tem alguma intolerância ao glúten pode usar farinha de arroz, fécula de batata ou farinha de aveia.
Só não deixe de fazer, aventure-se! 

Nenhum comentário: