28 março, 2017

Oma Japanese Experience - Brasília


O Oma Japanese Experience, o mais novo restaurante japonês da cidade, chega com uma proposta de montagens criativas mesclada com a cozinha tradicional. A casa é a mais nova empreitada da dupla Tiago Boita Laude e Leandro Caetano Pompeu, que já estão no mercado da gastronomia há mais de uma década.

Oma vem de Omakase, palavra que significa "nas mãos do chef" ou "aos seus cuidados" e é exatamente essa a proposta do restaurante, proporcionar uma verdadeira experiencia gastronômica para seus clientes. A execução dos pratos é do chef paulista, Marcos Akaki, que morou no Japão por 10 anos.

Eu estive no restaurante durante a sessão de fotos e pude experimentar quase TODOS  (isso mesmo) os pratos do cardápio e posso adiantar que a experiência é real e incrível!

A casa combina o clássico da culinária oriental com a cozinha contemporânea e foge dos padrões dos tradicionais rodízios que o brasiliense se acostumou. No cardápio, pratos que vão desde as duplas de sushis, de R$ 14 a R$ 30, passando pelos combinados, que variam de R$ 85 até R$ 245, para o combinado do chef, com peças montadas com o que houver de melhor naquele dia. Destaque total para o frescor dos pescados, tanto que os sashimis são devidos sobre o gelo - maravilha

Para quem gosta de experimentar opções variadas e diferentes, a sugestão é apostar nas entradas especiais, que oferece porções de fingers food que homenageiam chefs de grandes restaurantes japoneses pelo mundo. Destaque para o Ebi Max, (chef Max Kamakura, Miami), feita com camarão crocante empanado no Panko, envolto por tiras de salmão e temperado com teriyaki, tabasco, cebolinha e gergelim torrado (R$ 32) e o Hotategai Butterfly (chef Carlos Ohata, Rio de Janeiro), vieiras canadenses maçaricadas na manteiga de trufas brancas, raspas de limão siciliano e sal vulcânico do Hawaí (R$ 47), que em pouco tempo de casa aberta, já se tornaram os mais pedidos. Ambos de COMER REZANDO!


Outra entrada que vêm conquistando o paladar do brasiliense é o Atum Foie Gras (chef Bruno Takemoto, Grécia), lâminas de atum cobertas com fatia de foie gras selado, temperado com teriyaki, gengibre, cebolinha, flor de sal e caramelo (R$ 39) e o Gunkan Quail Egg (chef Roberto Okabe, Milano), finas tiras de salmão envolvendo o arroz do niguiri com ovas de salmão e ovo de codorna mal passado e temperado com flor de sal trufado (R$ 42).

A casa oferece também porções exclusivas, como o delicioso Salmão Belly. O prato é feito com 10 fatias largas da barriga do salmão temperadas com shoyu japonês, azeite extra virgem, raspas de limão siciliano e finalizadas com palha de batata doce, gergelim branco torrado e quinoa toast (R$ 40).

Há ainda um espaço dedicado aos pratos quentes, como o Fish Oma feito com pescado do dia pincelado ao tempero oriental de sumisso e grelhado em chapa de ferro fundido, finalizado com purês variados e misto de legumes (R$ 32) e o Risoto Oma, com arroz japonês cozido em técnica italiana ao dente, com suave toque de leite de coco, finalizado com misto de cogumelos, legumes salteados e frutos do mar ao molho de pimenta sweet chilli (R$ 59).  Delicioso, eu simplesmente não conseguia parar de comer...

O menu de sobremesas traz deliciosas opções para os mais diferentes paladares, como o Bolo Gota, uma delicada gelatina de limão-taiti, acompanhada de um sorvete cítrico de manga e maracujá, guarnecida de farofa crocante e frutas do bosque (R$ 20,00) - apresentação lindíssima, mas como eu sou a chata do limão fui de Xoco Oma, mousse de chocolate belga com sorvete meio amargo, farofa de chocolate e ganache (R$ 21,00). Perfeito!


Ah, além da decoração cheia de significados, a louça do restaurante é uma atração à parte. As cerâmicas do Oma são confeccionadas pelo Atelier de Hideko Honma, que fica em São Paulo - verdadeiras obras de arte que já conquistaram grandes nomes da gastronomia, como Alex Atala e Erick Jacquin. 


A artista usa somente elementos da natureza, como galhos de eucalipto, palha de bananeiras, pedriscos para dar cor às peças. Submetido às altas temperaturas do forno, o material colhido se transforma em cinza vegetal. Da cinza é feito o esmalte, onde são banhadas as peças. Produzir o próprio esmalte a partir de materias vegetais é a marca registrada de Hideko, que trouxe a técnica do Japão.

Fotos: Rafael Lobo/ Zoltar Design

 

Oma Japanese Experience
Endereço: 411 Sul, esquina do bloco D
Telefone: (61) 3245 8235

Horário de funcionamento: Almoço - de terça a sexta, das 12h às 15h. Sáb e dom até às 16h
Jantar - de terça a quinta e dom, das 19h às 23h. Sexta e sáb até às 24h



Nenhum comentário: