• Max Cajé

Muv Gastrostore busca aguçar paladar da geração Z com novo menu

Existe de fato a história de "bar de jovem" e "bar de velho"? Pode ser que lá nos longínquos anos 2000 esse pensamento fosse rapidamente concretizado com exemplos vários do dia a dia. Porém, muito se avançou de lá para cá e, apesar de ainda ser possível listar alguns nomes, as casas que vi surgirem nos últimos dois anos se distanciam cada vez mais da proposta e buscam abraçar diferentes gerações ao passo em que as desafiam mutuamente.


Explico: Claro que não estou falando de restaurantes de alta gastronomia, cozinhas clássicas e afins, esse papo vale outro texto. Me refiro a bares, cafés, pubs e gastropubs e é aqui que chego ao Muv Gastrostore, o exemplo mais recente que vi por em prática essa miscelânea geracional.


O ambiente altamente instagramável com direto a parede de luzes coloridas conversa de cara com os amantes de filtros criativos, fundos psicodélicos e ringlights. Ao sentar na mesa, mais um passo em direção ao futuro: não há serviço de garçom. Você baixa um app, abre sua comanda escaneando um QR Code e faz o pedido, que chega já com seu nome. No final, cada um paga sua conta via celular e tchau. Sem aquela de ficar folheando o cardápio e levantando a mãozinha. O negócio agora é rolar a tela e clicar em enviar.


Nesse ponto as coisas começam a se misturar. Se a mira até agora foi nos jovens adultos na casa dos 20 e poucos e não dos 20 e tantos, é no menu que percebi o esforço da cozinha em apresentar a eles uma comida bem feita, com ingredientes bons e sabor. E aí a gente embarca junto, claro!


Começando pela  Salamoon (R$ 28), salada servida em um bowl com cenoura, salsão, cebola, folhas de sálvia e alho picado, finalizada com fatias de filé mignon temperado com vinho tinto, vemos uma proposta de prato leve que serve também como petisco e até entrada, dependo do número de pessoas na mesa.

Como opção declaradamente para dividir, o filé também aparece com fatias de cogumelos no Carnemelos (R$ 48), com molho de shoyu, gergelim, cebolinha picada. O pãozinho vem para quem, como eu, gosta de ficar passando-o no molho e comendo no final.


Já nos sanduíches, o Choristar (R$ 26) traz linguiça assada na chapa, acompanhada por cebola caramelizada, chimichurri, queijo minas e pão. O Astroburger vem com lombo suíno empanado e frito, coberto com maionese de coentro, folhas de rúcula e molho tarê (R$ 33).


Outro destaque é o Charlie Brownie (R$ 25), na qual a sobremesa mais batida é reformulada com um bolinho denso regado com caramelo elaborado com cerveja de café um crocante de bacon caramelizado. Isso que é "se reinventar na crise".

Com esses poucos exemplos já consigo provar meu ponto de aqui o jovem que vai ao Muv não encontrará fritas escorrendo óleo, carne dura em cima do alface ou podrão com tudo dentro. As receitas foram feitas da mostrar que um paladar mais aguçado pode acompanhar sem problemas uma noitada de drinks e ter um custo benefício bom.


Do lado de cá dos 20 e tantos, eu compro fácil a proposta e ainda carrego os millenials comigo sem medo de errar, pois comida boa não tem idade e nem só de conta de 400 reais para comer bem vive o jovem dos anos 90.



Serviço:

Muv Gastrostore

SCLS 408, bloco C

Telefone: (61) 3551-4636

Funcionamento: Terça à quinta, das 17h à meia-noite; sexta, das 17h à 1h; e sábado e domingo, das 17h às 2h.


  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2023 by The Food Feed. Proudly created with Wix.com

logo-comer-rezando-2.png